HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

O time mais frouxo da história do Botafogo

Card image

Créditos: Foto: Vitor Silva/BFR

Domingo para segunda. Meia noite e vinte e cinco. Sentado aqui nesta cadeira, remôo os mesmos sentimentos de tantas outras rodadas dentro destas trinta e duas. Pode não ser o pior time do Botafogo que vi em 30 anos de vida, mas certamente é o mais frouxo.

Frouxo porque não luta. Porque não respeita a camisa. Porque não vibra. Porque não se cobra. Porque não se doa. Porque vai cair em último lugar, com uma campanha vergonhosa e nada me tira da cabeça que sairão sorrindo no final de fevereiro.

Muitos vão embora e estão fazendo corpo mole pois estão em fim de contrato. Bom, eu espero que os outros clubes estejam vendo. Independente de qualidade técnica, ninguém ali tem caráter para honrar um contrato. E isso me faz ter nojo de cada um deles.

Salvo, aqui, três: Cavalieri e Caio Alexandre, que coincidentemente fizeram suas piores partidas neste jogo contra o Fluminense, e Kanu, que foi um dos melhores tecnicamente em quase toda a temporada. O resto que vá para o inferno e apodreça sem encontrar um clube que os acolha.

Jogador indo para noitadas, chegando atrasado em treino, caminhando dentro de campo e se achando maior que uma instituição centenária e gloriosa. Uns vermes. Não merecem um real da fortuna que estão recebendo – e em dia, diga-se.

Kevin, Marcelo, Victor Luis, Zé Welison, Rafael Forster, Luiz Otávio, Cícero, Bruno Nazário, Pedro Raul, Matheus Babi, Kelvin, Barrandeguy, Rentería, Kalou, Rhuan e vários outros ficarão marcados na história do clube. Ainda que, por um milagre absurdo, ganhassem todos os jogos restantes e permanecessem na Série A.

Desonraram o DNA do clube, a nossa história, nossas tradições, nossas cores e, principalmente, nossa torcida. Torcida essa que sofreu tanto por estar afastada dos estádios, ao contrário de quando salvamos o clube inúmeras vezes nas últimas temporadas.

Diretoria, vocês também não escapam. Mais Botafogo, conselheiros, sócios-proprietários, Carlos Augusto Montenegro, Ricardo Rotenberg, e todos os outros que se esconderam quando a merda já estava feita. Vocês afundaram o clube e nos jogaram na sarjeta. Desgraçados.

Na hora devida, todos serão cobrados. Podem ter certeza. E o Botafogo, no fundo do poço, se reerguerá. Pelos braços dos torcedores, é claro; os únicos que realmente amam e se importam com a instituição. Vamos nos reinventar. E voltaremos.

Voltaremos profissionais, fortes, competitivos e aguerridos. Saberemos o que queremos. E, um pouco assustados, lembraremos desta manada de súcubos que quase conseguiram arruinar uma história tão linda. Mas falharam.

O Botafogo vai, mas volta. No campo, na luta, na raça, no coração. No planejamento, no profissionalismo e na coragem. Por isso é que tu és e hás de ser. Não podes perder, perder pra ninguém!

Saudações Alvinegras

Ver mais

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade