HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Ceni demora a mexer, Flamengo perde em Curitiba e se distancia do Inter

Card image

Créditos: Alexandre Vidal / Flamengo

O sonho do octacampeonato parece ficar cada vez mais distante do Flamengo. Vindo de duas vitórias consecutivas, o rubro-negro perdeu para o Athletico, por 2 a 1, neste domingo (24), na Arena da Baixada, em Curitiba, e voltou a deixar dúvidas no torcedor sobre o título brasileiro nesta temporada. Com uma proposta reativa, o Furacão teve paciência e inteligência para jogar no erro dos cariocas e aumentar a série invicta como mandante para três jogos.

A derrota deixa o Flamengo estacionado na terceira posição com 55 pontos, três a menos que o vice-líder São Paulo (58) e, agora a sete do líder Internacional (que chegou a 62, após vencer o Gre-nal deste domingo). Agora, o rubro-negro não depende somente de si para chegar ao título.

Rogério Ceni, elogiado pela ousadia em improvisar Willian Arão na zaga contra o Palmeiras, demorou a sacar Vitinho (na esquerda) e Isla (na direita) do time carioca. Os dois jogadores pouco produziram durante a partida e não conseguiram acompanhar as jogadas dos alas paranaenses, que abusavam dos espaços deixados pelos flamenguistas para chegar ao ataque.

Os gols athleticanos surgiram pelo setor. Aos 24’ do primeiro tempo, Nikão recebeu na ponta direita e cruzou para Abner, surgir nas costas de Isla, e abrir o marcador para o Furacão. Minutos antes, Neneca que havia salvado o Mengão em jogada idêntica, voltaria a brilhar em novo chute de Abner, como se fosse um replay do gol.

Gustavo Henrique marcou de cabeça o gol do Fla na Arena – Créditos: Alexandre Vidal / Flamengo

O Flamengo chegou ao empate em uma cabeçada de Gustavo Henrique, em ótimo cruzamento de Arrascaeta, aos 33 minutos. Mas, na etapa final, o Fla repetiu o jogo burocrático dos 45 minutos iniciais e foi facilmente marcado pelo Athletico. Diego, aos 18’ assustou em chute de fora da área, mas a bola foi para fora.

Ceni então resolveu mexer, tirando Gabigol e Éverton Ribeiro, para as entradas de Pedro e Pepê. Apesar das mudanças, o time seguia sem repertório, abusava das jogadas pela esquerda com Vitinho, e o camisa 11 seguia sem sintonia com os companheiros, errando a cada momento.

Rogério Ceni demorou a mexer em Curitiba – Créditos: Alexandre Vidal / Flamengo

Mesmo com a dificuldade em quebrar as linhas do adversário, o Flamengo quase encontrou a virada em um lance confuso com Arrascaeta, mas Pedro Henrique salvou em cima da linha. Com os espaços fechados, o Furacão esperou uma chance para matar o jogo e ela veio aos 37 minutos, quando Khellven aproveitou o espaço nas costas de Vitinho, avançou pela direita e cruzou na medida para Renato Kayzer, pegar de primeira, e decretar a vitória do Furacão: 2 a 1.

Após o gol, Ceni tirou Vitinho e Isla, para as entradas de Michael e Matheuzinho, mas o placar não se alterou. Na próxima quinta-feira (28), o Fla encara o Grêmio, às 20h, na Arena do Grêmio, em jogo atrasado do Brasileiro.

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Comentários

  1. Pingback: Atrás do gol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade