HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Khellven e sua desastrosa transição para o profissional

Card image

Créditos: CAP Oficial

Despontando no time de aspirantes em 2019, Khellven já era mais jovem do que o restante do elenco. Hoje, com apenas 19 anos passa a impressão de ser mais velho e experimentado. Isso por todo o seu processo de profissionalização, que teve falhas cruciais para seu desenvolvimento.

Khellven foi uma das promessas do Athletico a ganharem nome após o PR19. Sua colaboração no time principal ficou notória após a participação nos jogos decisivos da Copa do Brasil.

Apesar de não ter tido um impacto fenomenal no rendimento time (muito mais evidente na mudança Lucho-Cittadini, por exemplo), fez partidas melhores e mais competitivas do que Madson, que vivia um momento ruim e sofria diversas cobranças.

Ao mesmo tempo que foi boa como provação, essa experiência nas finais parece ter sido trágica a longo prazo. O Athletico não sabe o que fazer com Khellven e vai prejudicando a sequência de sua carreira. Um tanto por expectativas enormes colocadas sobre ele. Um outro tanto por falhas do clube.

É danoso para um jogador pular do elenco sub-20 para o profissional com a frequência que tem acontecido com Khellven. Afeta a confiança, não traz a sensação de pertencimento/sequência e afeta diretamente no rendimento. Esse é um fator subestimado na análise.

Muito se fala sobre seu extracampo complicado, com algumas provas que circularam pelas redes sociais. Neste ponto, caso proceda, a venda é a melhor opção. O simples fato de ter um jogador de dezenove anos em campo na elite do futebol brasileiro (e na seleção de base) já é um fator para valorização que não tem sido aproveitado. Basta lembrar das sondagens europeias, como do Granada-ESP. Poderiam haver mais caso Khellven fosse mais presente em campo, mesmo que não se demonstrasse um talento geracional ou coisa do tipo.

Ontem, contra o Bahia, Khellven jogou como lateral-esquerdo e sentiu-se claramente desconfortável com a função, tanto nos gestos corporais quanto na execução do plano defensivo. Falhou no gol. De quem é a culpa?

Estamos caminhando para um momento em que não venderemos Khellven para a Europa e não teremos um nome confiável para o elenco. Perdendo duas grandes opções. Se o lateral-direito não se provou um fenômeno, poderia ter um retorno relevante em cifras.

Tem apenas 19 anos e é visto por muitos como “flop”. É torcer para que o Athletico seja mais benevolente ao cuidar de nomes que subirão para o profissional em breve. É a idade em que o psicológico mais pode jogar a favor. Ou contra. O clube tem papel fundamental nisso.

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade