HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Invictas, Meninas de Aço empatam com Botafogo

Card image

Créditos: 📷 Marcelo Melo/EC Bahia

As Meninas de Aço empataram em 1 a 1 com o Botafogo, no Engenhão, pelo primeiro jogo das semifinais do Brasileirão A2.

Sem surpresas na escalação, como comentei no pré, o Bahia fez um bom jogo contra o Botafogo. O time fez um primeiro tempo com bastante intensidade, mantendo a posse e construindo jogadas, mas pecava na finalização. Talvez pelo ritmo imposto, calor, retorno do recesso e pelas adversárias que batiam bastante, as Meninas sentiram demais no segundo tempo e começaram a dar mais espaço, produzir menos e, consequentemente, ameaçar menos já que os contra ataques em velocidade não aconteciam, seja pelo cansaço, pela dificuldade de ligação com o meio.

Era nítido que algumas jogadoras sentiram câimbras. Igor foi mais cauteloso nas substituições, provavelmente temendo alguma perda após a última substituição. Tomamos o gol, mas vejo as alterações mais como o processo natural de condução que ele costuma dar a partida. Entendo quem não concorda, mas também tem elementos ali do jogo, como a condição da jogadora, que só ele e o preparador podem avaliar. É justo que também tenhamos um voto de confiança.

O pênalti no final do jogo nos remete a mística, a algo da sorte, só que precisamos lembrar que não existe sorte para quem não constrói, não busca. Giovânia, autora do gol, assumiu a responsabilidade e marcou. Com toda sua experiência, não deixou a pressão dominar e comemorou de forma efusiva.

Imagem
📷 Marcelo Melo / EC Bahia

Tenho percebido entre os torcedores uma impaciência maior e alguns julgamentos que eu avalio como equivocados. Um dos pontos que falei bastante sobre não descontar a frustração com o time masculino no feminino, e isso acabou sendo associado somente a situações onde as pessoas rejeitam o futebol feminino. Entretanto, é importante que tenhamos cuidado, pois existe um costume no olhar, nos parâmetros que vem do futebol masculino. A decepção e frustração acaba criando um super dimensionamento e o torcedor acaba sendo mais crítico a elas do que merecem.

Quem acompanha o time feminino do Bahia desde o primeiro jogo sabe que esse time sempre perdeu muitos gols, inclusive em partidas onde goleou. A própria Gadu, nossa artilheira incontestável e de imensa qualidade, perdeu alguns gols de cara. Sim, temos algumas jogadoras que poderiam estar rendendo mais ou que caíram um pouco e esses elementos precisam ser analisados e trabalhados.

Não sei se foi o bom costume da primeira fase onde todo jogo era uma goleada, mas é bom que a gente registre também que a qualidade dos adversários subiu bastante. Não estamos mais enfrentando defesas tão vulneráveis. Basta ver que não estamos mais tendo goleadas por parte de nenhum time nessa reta final. A medida que avançamos, nossas adversárias também tem mais tempo e mais material para estudar nosso jogo, para bloquear as jogadoras e tentar neutralizar nosso ponto forte, enquanto exploram as fraquezas. Isso não significa que estamos jogando mal, ao contrário, só demonstra que o nível do jogo subiu e precisamos explorar novas jogadas. É em cima disso que Igor precisará trabalhar pra ser criativo e trazer o elemento surpresa de acordo com as jogadoras que temos a disposição. É um desafio, mas temos qualidade para fazer acontecer.

Teremos uma semana para o próximo jogo. É decisão. Até lá, cabe as Meninas focarem no treino, a Igor explorar as novas jogadas e ao torcedor demonstrar todo apoio que elas merecem.

#BBMP #JogueComoUmaGarota  

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade