HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Onde está o espírito vencedor do Flamengo?

Card image

Créditos:

O Flamengo viveu uma temporada ‘A.C (antes da crise) da pandemia’ impressionante. Aniquilou os adversários como quis sob o comando de Jorge Jesus. O treinador faz parte do passado, mas seu espírito vencedor ainda ronda os corredores no Ninho do Urubu. Sua saída como bem disse Filipe Luís foi determinante para a quebra do processo bem sucedido até então.

A diretoria do Flamengo jamais se preparou para o fim dessa relação. Braz desdenhou de um ‘contrato vitalício’ com o Mister e Landim foi pego em transmissão da FlaTV antes da apresentação de Bernardinho, como novo técnico de vôlei, afirmando que não sabia da decisão da saída do português, enquanto toda a imprensa já afirmava que ele daria adeus após o Campeonato Carioca. São erros e mais erros de uma diretoria que se acostumou a estar por cima da carne com faz o mascote do clube.

Apostou-se novamente no ‘estrangerismo’. Não vingou. Aposta-se na receita caseira com toque de brasilidade após o erro de ter contratado Abel Braga, mas Rogério Ceni ainda não provou que pode ter prato principal com seu nome. Peca pela inexperiência no cargo em um desafio grande no maior clube do Brasil. Na última coletiva, usou-se do passado como jogador para apontar os erros individuais do time como determinante para a derrota no Fla-Flu, não reconheceu os méritos de Ailton Ferraz e tampouco assumiu não ser capaz novamente de criar opções para furar o bloqueio adversário. Insistiu nas bolas alçadas e não soube dar a devida tranquilidade a um time já fragilizado emocionalmente para conseguir os três pontos no Maracanã.

Nos bastidores, dirigentes se perguntam se a escolha pelo treinador foi acertada. Trata-se de mais um erro. A partir de momento que não se tem convicção daquilo que foi feito é o primeiro passo para pôr tudo por água abaixo. Faltam ainda 11 jogos. O Brasileirão está aberto, mas quem quer ser campeão precisará de muito mais.

Ser vencedor é fácil. Difícil é se manter no topo. O Corinthians de 2012 chegou ao auge, mas caiu do cavalo rapidamente no ano seguinte. E para todo o investimento feito por isso, cada centavo tem saído muito caro no Flamengo para terminar a temporada com chave de ouro.

Ver mais

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade