HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Bahia perde mais uma

Card image

Créditos: Felipe Oliveira / EC Bahia

Na minha ingrata tarefa de fazer o pós, eu fico sempre pensando o que posso falar que talvez ainda não tenha sido desabafado na rede social. Não que eu tenha alguma visão além do alcance, meu olho de Thundera há muito abandonado, mas por saber que o torcedor não aguenta mais e poderia se valer de um pouco de fé, nem que fosse pra rir da minha. Até para dizer que o torcedor cansou, está repetitivo.

Ponderei pouco após o final do jogo, já que não consegui compreender o motivo de Dado ter assumido essa missão para repetir o que vínhamos assistindo jogo a jogo e por estar limitada sobre o que dizer do que se vê no Bahia hoje.

Temos (?) um diretor de futebol ilustrativo que montou um elenco (com aval da diretoria) tão medíocre que nada é solução. Torramos dinheiro em peças que fariam vergonha e que vamos remoer por muito tempo. Estamos com o terceiro técnico no ano, mas as substituições são as mesmas. Não é só falta de opção já que não consigo acreditar que não tenha ninguém que consiga ser tão medíocre a ponto de não ameaçar algumas titularidades ou servirem até como substituição. Até elencos piores de outros times estão conseguindo ser espremidos pra render alguma coisa.

Só que foi ai que eu me questionei: porque Dado assumiu a tarefa, se iria fazer mais do mesmo? Poderia ter ficado cômodo na posição segura que estava, mantendo seu alto aval entre a torcida. E não é uma crítica a ele, ao contrário, é uma tentativa desesperada de entender e quem sabe, ter alguma esperança.

Chegou num nível tal que comemoramos não tomar gol até quase o final do primeiro tempo. É uma evolução para um time medíocre que nos primeiros minutos vê sua defesa frágil tomar 2, 3 gols. Claro, foi aquela velha história do estamos bem, não cometendo tantos erros, criando um pouco e desperdiçando todas as chances que temos. Tomamos um gol. O time simula uma reação (as vezes nem isso), continua a errar nas finalizações ou poucas jogadas e ao invés de corrigir, toma outro.

Para ser justa, contamos com um Douglas fazendo defesas difíceis e fundamentais para que tudo não fosse ainda pior, mas isso era o mínimo esperado pra um goleiro que era um bom trunfo e se tornou uma incógnita, especialmente pelas constantes lesões. Poderia citar o quão horrível foi a partida de Rossi, a não compreensão com a incontestável titularidade de Nino, como o time estava morto fisicamente, figurando em Ronaldo de 24 anos com a língua pra fora. Tudo isso a gente já cansou de ver. Ainda me iludi que talvez ele esteja esperando a final do sub 20 para usar uns meninos, ou o desafogo de algumas saídas, ou até mesmo a mudança de ano e de idade (vai que ele é supersticioso). O que continuo a questionar é porque Dado aceitou assumir essa barca com cada vez mais furos?

No final das contas, torcedor puxou sua calculadora e seca outros times por perder a fé em qualquer reação do time e de reformulação da diretoria. Ficamos até aliviados por não ter mais jogo esse ano, mas, derrubando ilusões, uma semana e meia de folga do principal é pouco. E como a diretoria gosta tanto de números, deixo aqui dois dados (perdão) importantes: essa é a sexta derrota seguida, algo que não acontecia na série A desde 1968;

E a conta na mão pra ajudar no que precisamos para sobreviver a Série A desse ano:

Faremos 90 anos com um gosto amargo e o coração aflito pelo que vem.

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade