HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Santos é o ‘azarão’ da semifinal da Libertadores da América?

Card image

Créditos: santos

Os confrontos da semifinal da Libertadores da América foram definidos após a vitória sem maiores problemas do Boca Juniors sobre o Racing, na Bombonera (2 a 0), nesta quarta-feira. Sem sofrimento, o Palmeiras e o River Plate também avançaram fácil na última semana. Ah, e o Santos? Também teve uma grande atuação na Vila Belmiro contra o Grêmio e chega despertando a atenção. Azarão? Só para quem não o conhece.

O Peixe conviveu em 2020 com uma série de problemas extracampo que poderiam ter colocado por água abaixo o sonho do tetracampeonato da competição. Destaco três pontos para a superação: Cuca, Marinho e a molecada.

Sem grandes investimentos, o Santos novamente apostou na base para dar a voltar por cima e superar a crise financeira e as manchas causadas por uma administração devaneia, que tentou abraçar até um ídolo condenado.

Kaio Jorge desabafou ao dizer que houve desrespeito ao Santos na Libertadores ao não colocá-lo como favorito. Mas, quem em sã consciência apostaria no time até então? A Libertadores cada vez mais privilegia o capital. Clubes de maior investimento serão vistos frequentemente nas decisões. E o Alvinegro está longe desse patamar atual.

O elenco abraçou a ideologia de um treinador que é movido a fé e a paixão pelo o que faz. Cuca dá a volta por cima após um ano longe do futebol. Demitido no São Paulo com apenas 47% de aproveitamento em cinco meses de trabalho em 2019, ele se reservou ao direito de escolher uma nova chance. E que risco foi assumir o Santos. Poderia colocá-lo no celeiro dos ‘sucumbidos’.

Com a temporada exuberante de Marinho e o empenho dos ‘Meninos da Vila’, o Santos meteu o pé na porta e falou: “cheguei!”. A alcunha de franco-atirador pode favorecer já que minimiza o peso do duelo com o Boca Juniors de Tévez.

Do outro lado da chave, o Palmeiras encara o River Plate. Há quem possa dizer que seja a final antecipada, mas longe disso. Se não fosse futebol, até que eu poderia apostar nessa tese, mas a ‘pelota’ prega peças. Marcelo Gallardo é o ‘Mister Libertadores’. Não tem treinador capaz de se aproximar do desempenho dele na competição pelos Milionários. Está sempre entre os melhores. Conhece cada esquina do torneio perante o português Abel Ferreira, que está em sua primeira edição. Os dois clubes tem um baita elenco e a promessa é de presenciarmos dois super jogos.

Mantenho minha esperança de uma final brasileira dia 30 de janeiro. Santos e Palmeiras, façam o favor de não permitir um tango no ‘Maracanazo’. Inclusive, uma decisão paulista no Rio de Janeiro seria um tapa na cara dos clubes cariocas… Isso a gente deixa para uma outra resenha.

Feliz Natal!! Cuidem-se!!

Ver mais

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade