HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Fifa acusa seu ex-chefe, Blatter, em conexão criminosa

Card image

Créditos: Reprodução

O ex-chefe do futebol mundial Joseph Blatter foi acusado na terça-feira pela Fifa de “má gestão criminosa” em conexão com o projeto do museu do futebol em Zurique, Suíça. Reagindo ao anúncio de uma queixa da Fifa ao promotor de Zurique, o advogado de Blatter, Lorenz Erni, disse à AFP que “as acusações são infundadas e veementemente negadas”. Por sua vez, a organização esportiva, com sede em Zurique, explica que “uma investigação realizada por especialistas externos revelou evidências de suposta má gestão criminosa contra a ex-gestão da Fifa e as empresas nomeadas por este último como parte do projeto do museu do futebol.

De acordo com a Fifa, ele gerou uma fatura de 500 milhões de francos suíços (2,9 milhões de Reais) que “poderia e deveria ter sido dedicado ao desenvolvimento do futebol mundial”. “Concluímos que não tínhamos escolha a não ser relatar o assunto ao Procurador-Geral da República, pois a atual gestão da Fifa tem responsabilidades fiduciárias perante a organização e pretende assumi-las totalmente, mesmo que seu antecessor esteja longe de ter feito o mesmo ”, disse o secretário-geral adjunto da FIFA, Alasdair Bell, no comunicado à imprensa. O Museu da Fifa em Zurique, cuja construção foi desejada por Blatter, presidente deposto e suspenso, foi inaugurado em fevereiro de 2016 pelo atual presidente Gianni Infantino, um dia após sua eleição.

O museu foi ameaçado de fechamento por causa de perdas financeiras, tendo sido até anunciado aos funcionários. Contudo, o museu permaneceu aberto. O edifício de dez andares compreende 3.000 m2 de espaço para exposições, espaços para eventos, salas de catering, 34 apartamentos, bem como escritórios que podem acomodar cerca de 140 funcionários. O museu esperava entre 130.000 e 150.000 visitantes em 2016 e 250.000 em 2018. Por fim, 161.700 visitantes passaram pelas portas do museu durante o ano de 2019, segundo a Fifa. De acordo com o comunicado da FIFA, a antiga administração do órgão esportivo gastou 140 milhões de francos suíços para a reforma e modernização do edifício que não é seu.

“Os números que a Fifa comunica são falsos”, disse a comitiva de Joseph Blatter à AFP, argumentando em particular que o aluguel anual do prédio é de 8,9 milhões de francos suíços e que não se leva em conta “o fato de a Fifa poder alugar vinte apartamentos e escritórios”. “Devido às consideráveis ​​somas investidas no museu e ao modo geral de funcionamento da antiga gestão da Fifa, foi realizada uma auditoria judicial para apurar o que realmente aconteceu”, explicou Alasdair Bell na terça-feira (22). Esta auditoria revelou inúmeros casos de má gestão, bem como circunstâncias suspeitas, algumas das quais podem ser de natureza criminosa e, portanto, precisam ser totalmente investigadas pelas autoridades competentes.

Blatter já enfrenta uma investigação da justiça suíça, relativa ao pagamento pela Fifa de 2 milhões de francos suíços (1,8 milhões de euros) a Michel Platini no início de 2011. Neste caso, os dois homens são agora processados ​​por fraude e quebra de confiança, após o alargamento da investigação inicialmente aberta contra eles por gestão injusta, e que em 2015 interrompeu a carreira de líderes no futebol.

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Comentários

  1. Pingback: Atrás do gol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade