HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Ileso contra o Bota, Fla ainda busca solidez defensiva

Card image

Créditos:

O desequilíbrio defensivo tem sido um dos principais problemas do Flamengo, desde a volta do futebol. O número alto de gols sofridos incomoda torcedores e tira o sono do técnico Rogério Ceni, que tem aproveitado os treinamentos ao longo desta semana, para tentar corrigir erros cometidos pela equipe nas últimas partidas.


Ao todo são 31 gols sofridos em 23 jogos no Brasileirão, o que deixa o Rubro-negro com a pior defesa entre os oito primeiros colocados na tabela da Série A, ao lado do Atlético Mineiro. A diferença entre os dois, no entanto, é que o Galo possui um jogo a mais que o Fla no campeonato. Sendo assim, a média de gols sofridos dos cariocas é de 1,7 por partida, contra 1,2 dos mineiros.


Outro ponto que preocupa é o modo como o Flamengo acaba sendo vazado. Sucessivos erros individuais de alguns jogadores da defesa incomodam parte da torcida que elegeram Léo Pereira e Gustavo Henrique como principais culpados pelo problema no setor.


Filipe Luís, um dos líderes do grupo, defendeu os companheiros, nesta quarta-feira (9). Sem citar nomes, o lateral-esquerdo apontou o coletivo como fator para os erros da equipe.


“Isso é uma parte um pouco triste que acontece no futebol. O cara que comete o último erro é quem sai como vilão. Mas pode ter certeza de que todos os gols que tomamos ou perdemos não teve apenas um culpado ou um cara que perdeu. É o time inteiro. Quem analisa com calma, frieza e sensatez é capaz de enxergar os erros. Talvez o último que apareça na câmera é porque foi quem correu para tentar consertar, mas não é o culpado. O que temos que fazer é levantar o ânimo o mais rápido possível. O bonito do futebol é que você é vilão na quarta e herói no sábado. Não precisa ter medo de errar, porque na próxima vai acertar. E neste clube é mais fácil acertar pela qualidade dos jogadores. Então, é questão de tempo para o futebol, desse pessoal que está sendo cobrado, voltar ao normal”, disse o camisa 16.


A vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, no último sábado (5), no Engenhão, foi a primeira partida que o rubro-negro saiu de campo sem ser sofrer gols sob o comando de Rogério Ceni. “O time vem em evolução grande nas últimas rodadas. É um modelo diferente. Estamos crescendo, com uma solidez maior. Muitos dos gols difíceis de explicar. O Rogério é completo, trabalha todos os aspectos. Linhas, compactações, tudo. Claro que exige um tempo. Há o diálogo e correção com vídeos. Entendemos cada vez melhor para termos a cara do Rogério Ceni”, afirmou Filipe Luís.


Na terceira posição da Série A com 42 pontos, o Flamengo pode ver a diferença para o líder São Paulo aumentar. O Tricolor recebe o Botafogo, nesta quarta-feira (9), em jogo atrasado e, se vencer, aumenta a vantagem sobre o Fla de cinco para oito pontos.

Um fator que pode ajudar o rubro-negro a seguir na cola dos paulistas é o calendário. O clássico contra o Botafogo foi o primeiro de cinco jogos que o clube vai fazer no Rio de Janeiro até o dia 10 de janeiro de 2021. A exceção será o confronto diante do Fortaleza, marcado para o dia 26 de dezembro, na Arena Castelão.


No próximo domingo (13), os cariocas terão o Santos pela frente no Maracanã, às 16h, pela 25ª rodada do Brasileiro. A novidade para a partida será o retorno de Gabigol, recuperado de um desequilíbrio muscular. No primeiro turno ele garantiu a vitória do Flamengo sobre o Peixe, marcando o único gol da partida na Vila Belmiro.

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade