HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

A epopeia do El Paranaense

Card image

Créditos: Fabio Wosniak/Athletico Oficial

Seria clichê começar qualquer texto dizendo que 2020 foi um ano difícil e atípico para todos os setores da sociedade incluindo os times de futebol, mas a verdade não se pode negar. Entretanto, para o Athletico, outros fatores além da pandemia podem ter sido os causadores das dificuldades e atipicidades que surgiram ao longo dessa temporada.

Comecemos com os chamados “desmanches”, que podem também ser nomeados investimentos. Isso porque, nunca o Athletico fez tanto dinheiro com a venda de direitos de jogadores; a boa safra de 2018/2019 já tinha seu destino certo para 2020, e não era o rubro-negro paranaense, como já era de se esperar.

O maior problema das saídas de jogadores importantíssimos para os sucessos recentes não foi exatamente a saída deles, mas a ausência da reposição à altura. E isso passa sim, pela Diretoria. Com o homem forte do Furacão afastado desde o final do ano de 2019, Paulo André recebeu a incumbência dos mandos e desmandos, e mesmo com todo eruditismo o Diretor de Futebol não conseguiu ser efetivo na função, tanto quanto o fazia em campo.

Afora as contratações equivocadas para o plantel, o insucesso nas contratações de um técnico após a saída de Tiago Nunes, e a não evolução de Eduardo Barros no comando da equipe, tivemos problemas internos e de relacionamento, as famosas “panelinhas”.

Com esse cenário e em meio à já citada pandemia, após o retorno do futebol veio o Tricampeonato Paranaense que mascarou por um momento a situação do time. Mas a máscara logo caiu. O rendimento no Campeonato Brasileiro no primeiro turno foi pífio, terminando na zona de rebaixamento, e a desclassificação na Copa do Brasil fecharam o pacote do show de horrores.

Enquanto tudo isso acontecia, o Athletico caminhava em outro torneio de forma paralela, quase nos fazendo acreditar que existia uma realidade invertida, no maior estilo “Stranger Things”. Na Libertadores da América, mesmo com dificuldades, o Athletico era outro, e esse outro nos agradou.

Esse outro Athletico fez ótimos jogos na fase de grupos do torneio continental, desencantou Walter para uma virada, inspirou Cittadini contra o Colo-Colo e até fez Richard marcar um golaço contra o Peñarol. Contra o Jorge Willstermann esse Athletico fez milagre e nem parecia estar jogando na altitude de Cochamamba, fazendo Lucho González jogar de “falso 9” magistralmente, quase que nos lembrando um outro Argentino aí que faz essa função em terras Catalãs. Esse Furacão conquistou a vaga para as oitavas de final com uma rodada de antecedência e poderia ter encerrado como primeiro lugar do grupo, mas resolveu aprontar, daquele jeitinho que só ele sabe fazer.

A derrota para o uruguaio Penãrol por 3 a 2 nos deixou no segundo lugar do grupo C e o sorteio das oitavas de final não nos foi generoso: o poderoso River Plate entrava no nosso caminho mais uma vez. Até a realização do primeiro jogo, a ferida da eliminação nas oitavas de final na Copa do Brasil para o Flamengo já estava curada, e sob o comando de Paulo Autuori, com Eduardo Barros e Paulo André fora, o Athletico vinha se recuperando no Brasileiro, com uma arrancada de 4 vitórias seguidas.

Os bons resultados fizeram, inevitavelmente, que o time adotasse uma postura absolutamente diferente perante o time Argentino, e no jogo que aconteceu na Arena da Baixada o Furacão surpreendeu críticos, torcedores e até os próprios jogadores. Não faltou raça, não faltou entrega. Faltou sorte e um pouquinho de qualidade.

Sorte, porque o Athletico viveu um verdadeiro tormento às vésperas daquela partida. Oito jogadores testaram positivo para a COVID-19 entre eles os goleiros Santos e Jandrei, titular e reserva, respectivamente. Para o jogo, foi escalado Bento, de 21 anos, fazendo sua estreia no profissional, diante do River Plate. Se alguém achava que o garoto teria problemas, é porque não conhece a fábrica de bons goleiros do CAT do CAJU – que é assim nomeado porque CAJU foi um dos maiores goleiros da história do Athletico. O arqueiro trabalhou bem e não se acovardou diante da enormidade do adversário.

Qualidade, porque é inegável que o time Argentino está em outro patamar do que o Athletico, joga junto há algum tempo e vem em ótima fase, enquanto que por terras paranaenses a realidade é outra. Mesmo assim, quando o juiz apitou o fim daqueles primeiros noventa minutos, o sentimento uníssono do torcedor foi: DAVA PARA TER SAÍDO COM A VITÓRIA.

O empate em 1 a 1 foi amargo porque o Furacão saiu na frente com gol de Bissoli, mas no finalzinho, literalmente aos 45 minutos do segundo tempo, tomou um gol de escanteio.

Para o segundo jogo, a sorte novamente passou longe do Athletico, e com mais baixas no elenco por contaminação em massa, não tínhamos goleiro reserva. Sem ter muita escolha foi assim mesmo que o Furacão foi até Alvejaneda enfrentar os Milionários.

O primeiro tempo foi realmente surpreendente para quem ainda desconfiava do poder de resiliência do Athletico. Com um minuto de jogo veio o primeiro cartão amarelo para Walter, mostrando desde logo que a catimba Argentina não iria colar naquela noite. Bento foi excepcional, mas no ataque faltava aquele “algo a mais”. Richard, Erick e Carlos Eduardo não conseguiram cumprir suas funções de forma tranquila, prejudicando as chances de gol e matando jogadas.

Para a segunda etapa o River veio com força total e não descansou até conseguir cavar um pênalti na área atleticana. Na cobrança De La Cruz chutou na trave, a bola caprichosamente bateu no goleiro Bento, rebateu na trave e no rebote o River marcou. Com o gol quase nos 40 minutos, ficou difícil para o Athletico buscar o gol que nos levaria às cobranças de pênaltis.

A epopeia do El Paranaense na Libertadores da América de 2020, a sétima de sua história, teve seu ômega. Mas foi um final de deixar todo torcedor, até mesmo o mais pessimista de cabeça erguida, já que com garra e com raça, o Furacão lutou até o final, e caiu de pé, para o melhor time da América na atualidade.

Ver mais

Sobre o autor

Ver mais

Comentários

  1. Michelle CS disse:

    Textão. Esses jogos na Libertadores me deram a confiança de que podemos ser melhores e temos muito caminho bom a trilhar.
    Para ser grande é preciso estar entre os grandes, inclusive em competitividade, tenho gostado do que veio!

    1. Daiane Luz disse:

      Continua sendo nossa obsessão! Não tenho dúvidas que temos competência para logo logo chegarmos lá!

  2. Hellen disse:

    Excelente texto.
    Traduz com mta clareza o nosso sentimento.

    1. Daiane Luz disse:

      Feliz por representar vocês <3

  3. Mylla disse:

    Amei o texto cheio de referências! Sucesso ao novo portal!

    1. Daiane Luz disse:

      Obrigada amiga! Logo estarei pedindo fontes para textos históricos!

  4. Michele Toardik disse:

    Textaço, retrata exatamente esse 2020 conturbado e as pormenoridades do Athletico desde o “planejamento” pós Copa do Brasil.
    Sucesso à colunista, ao portal e ao Athletico (que tem que dar um jeito de voltar para a Libertadores).
    Abs.,

    1. Daiane Luz disse:

      Poderia o iludido atleticano pensar em beliscar uma pré-Libertadores já para o ano que vem? Hahaha!

  5. Andréa Broto disse:

    Resumiu maravilhosamente o nosso ano, o nosso planejamento, ou a falta dele, e a nossa passagem pela Libertadores. Saímos com a sensação de que poderíamos ter ido mais longe, não fossem alguns percalços no meio do caminho. Mas com certeza essa desclassificação é só mais um degrau no nosso crescimento. Estamos ganhando “casca”, como se diz por aí. Das grandes adversidades, surgem grandes vencedores! Chegaremos lá, uma hora ou outra.
    Parabéns e sucesso ao portal e aos colunistas.

  6. Simone Tuleski disse:

    Revivendo, com seu excelente texto, tudo que passamos nesse ano, lembrando as angústias, as esperanças e as decepções. Agora foco no Brasileirão, a gente nunca deixa de acreditar e torcer por nosso time!!!

  7. Daniell Broto disse:

    Texto maravilhoso que disse tudo.
    Agora é focar nas novas batalhas que temos adiante.
    Parabéns pelo portal e sucesso!!!

  8. Nayara Alves disse:

    Texto espetacular! É esse o sentimento!
    Vamos em frente 🙂

  9. Roselene Wuilleumier Salemme disse:

    Adorei relembrar esse nosso ano, até aqui, neste texto maravilhoso!!!
    Parabéns e sucesso para o portal!!!

  10. Analu disse:

    Texto perfeito, resumiu muito bem o sentimento de todos nós! Parabéns!

  11. Vittoria Santos disse:

    Texto incrível! To toda arrepiada! Sou suspeita pra falar porque pra mim, independente do nosso rendimento, a Libertadores tem toda a sua magia especial e com a nossa raça não estamos longe de conquistar a glória eterna ❤️🖤🌪

  12. Débora disse:

    Que texto!! Apesar de todo esse ano conturbado eu acredito no potencial desse time.

  13. Luana Schafer disse:

    Belíssimo texto!
    Estamos MUITO perto da glória eterna. Logo logo ela chegará.

  14. Ana Carolina de Souza disse:

    Texto incrível! É esse mesmo o sentimento. Acredito que temos muita capacidade para evoluir mais e mais e logo conquistar a nossa tão sonhada glória eterna <3

  15. Muito bom o texto! Suas Palame fizeram recordar de cada um destes momentos. Você conseguiu trazer todos os detalhes de uma forma ótima e única. Continuaremos em busca da Glória Eterna!
    Muito sucesso!!

  16. Soraya Roessle disse:

    Estávamos precisando de um portal assim. Parabéns aos envolvidos!

  17. Liliana Haas disse:

    Amei o texto! Disse tudo!
    Agora é foco no Brasileirão! ❤️🖤

  18. Fabíola tigrinho disse:

    Texto que resume nosso sentimento!
    Muito bem escrito! Parabéns e sucesso!

  19. Patrícia Loise disse:

    Texto preciso e com pontos super contundentes com a nossa realidade atual. A falta de planejamento e as contratações “na loca” nos colocaram nessa situação. Tomara que os ares de Liberta tomem conta do time para seguirmos firmes no Brasileirão e conseguir uma boa colocação e quem sabe até uma pré liberta para o próximo ano!
    Parabéns Daiane, vc soube pontuar com clareza e objetividade o que é o Furacão de 2020!

  20. Déborah Almeida disse:

    Amei o texto, muito bem escrito. Parabéns!

  21. Cris Pereira disse:

    Graças a Deus começamos a reagir, porém não o suficiente para passar pelo poderoso River, como vc citou. Agora é terminar de arrumar a casa e focar no Brasileirão. Ótima matéria Daí. Me representa.

  22. Camila Ungaratti disse:

    Dai, cumpriu com maestria a missão de colocar em palavras o nosso 2020! Excelente texto!

  23. Suzana disse:

    Arrasou como sempre!! ❤️🖤

  24. THAIS PUJOL disse:

    Parabéns por expressar tão bem nosso sentimento.
    Vamos em frente… vejo um futuro maravilhoso ao nosso Furacão!

  25. Maria Eduarda Matoso disse:

    Amei o texto!! Vamos em frente! 💪🏻

  26. Thaiane disse:

    Que texto incrível!
    Representa muito o sentimento do torcedor! Fiquei triste pela eliminação no último jogo contra o River, mas com a sensação sim de cabeça erguida!
    Esse ano está sendo de reestruturação para o clube e já sinto que estamos no caminho certo, reagindo e lutando até o último minuto , como deve ser!

  27. Larissa Miquelasso disse:

    Que texto maravilhoso! Mesmo diante da eliminação pra um time tão vitorioso quanto o River, fica o sentimento de que nossa hora esta próxima, nossa obsessão! Sucesso para o novo portal!

  28. Luciana Ferreira disse:

    Excelentes as análises!!
    Que uma melhor sorte e melhores atuações nos acompanhe no Brasileirão! Bora buscar a vaga da oitava participação na liberta!!!

  29. Namie disse:

    Ótimo resumo da montanha russa de sentimentos que o torcedor atleticano tem passado esse ano!

  30. Amanda Ferraz disse:

    Que texto maravilhoso!

  31. Roberta disse:

    Perfeita!!! Que ano que vem, saindo dessa loucura toda que envolveu nosso 2020, o clube possa ter vôos mais altos, e inspirar mais textos assim.

  32. Letícia disse:

    Excelente texto 👏🏼👏🏼👏🏼

  33. Jussara Macedo Ramiro De Assis disse:

    Exatamente! Excelente resenha…Ler um texto da Daiane Luz é praticamente estar presente no momento, é vivenciar tudo o que está escrito…tem alma, coração…show de bola! Parabéns!!!
    Ser rubro-negro Athleticano é para “quem tem raça e não teme a própria morte”…Confiantes sempre na força do nosso Furacão ❤🖤🌪🌪🌪🌪

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade