HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Brasil x Operário: 0 a 0 morno que não ajudou ninguém

Card image

Créditos: Carlos Insaurriaga/GEB

Antes de falar da partida eu preciso parabenizar os heróis que assistiram a este jogo inteiro. Uma partida profissional de futebol, de uma das principais divisões do país, que começa às 17h, numa tarde de segunda-feira, deveria ser considerado crime. Mas como não é, Brasil de Pelotas e Operário foram a campo pela 25 rodada na Série B, no Bento Freitas, em pelotas, para empatarem em 0x0.

Repleto de desfalques, o Fantasma viajou para o Rio Grande do Sul com 18 atletas. No departamento médico do clube paranaense, Clayton, Alex Silva, Maranhão, Marcelo e André Luiz não foram liberados para integrar a delegação alvinegra. Além deles, os suspenso Thomaz, Tomas Bastos e Julinho também ficaram em Ponta Grossa. A surpresa ficou pela ausência de Douglas Coutinho, liberado para a partida depois do isolamento por causa do covid-19, e Sosa e Peixoto, que não viajaram para resolver assuntos pessoais.

Sem peças importantes, sem opções de reserva e com um confronto direto pela frente, Matheus Costa escalou a equipe de Vila Oficinas assim: Thiago Braga; Sávio, Bonfim, Ricardo Silva, Fabiano; Mazinho, Leandro Vilela, Jean Carlo; Rafael Chorão, Ricardo Bueno e Diego Cardoso.

O Xavante de Cláudio Tencati veio a com com: Rafael Martins; Rodrigo Ferreira, Leandro Camilo, Héverton, Alex Ruan; Sousa, Bruno Matias, Matheus Oliveira; Jarro Pedroso, Dellatorre e Bruno José.

Num primeiro tempo morno, o Operário iniciou a partida ditando os primeiros movimentos, com duas finalizações de Leandro Vilela para fora. A melhor oportunidade do Operário no período, e na partida, aconteceu aos 23 minutos, em jogada construída por Jean Carlo pela direita, cruzando para Diego Cardoso, que desviou para fora.

O segundo tempo no Bento de Freitas não foi muito diferente do primeiro, mas com mais chances criadas pelos mandantes. Foram ao menos três lances que obrigaram o goleiro Thiago Braga a fazer defesas difíceis para impedir o Brasil de abrir o placar.

Para tentar equilibrar a partida, Matheus Costa chamou Jiménez para o lugar de Vilela, Batatinha para a vaga de Chorão, Schumacher para substituir Jean Carlo e reestruturou o time com Reniê no lugar de Diego Cardoso e Pedro Ken, que substituiu Ricardo Bueno. A mudança no padrão de jogo não surtiu grandes efeitos, com a melhor chance do Fantasma na etapa acontecendo aos 35’. Batatinha cruzou pela esquerda, com desvio de Mazinho para fora.

E foi isso, uma partida tão sofrível quanto jogar um jogo de Série B num fim de tarde de segunda-feira. Com o empate fora, o Operário vai aos 33 pontos e ocupa a 11ª colocação na tabela, mesma pontuação do Brasil de Pelotas, que ocupa a 12ª posição, com uma vitória a menos. As duas equipes podem ser ultrapassadas pelo CRB, que joga na terça-feira, contra o CSA, às 19h15.

O empate fora de casa não é um mal resultado, ruim mesmo foi a apresentação do alvinegro, que pode ser justificada pelos desfalques. Em coletiva pós-jogo, o treinador Matheus Costa avaliou como positivo o ponto conquistado em Pelotas. “Dentro de todas as nossas circunstâncias e da dificuldade que tivemos para esse jogo de hoje, sair com um ponto. A gente acaba saindo satisfeito. Óbvio que não podemos ficar feliz, mas como eu falei para eles [atletas] no vestiário, desde que a gente vença em casa na quinta-feira, esse é um ponto que tem que ser valorizado”, afirma o treinador alvinegro.

Na quinta-feira (3), o Operário recebe o Avaí no Germano Krüger às 21h30, pela 26ª rodada da Série B. A equipe catarinense vem de derrota por 3×0 em casa para o lanterna do campeonato, Oeste.

Ficha Técnica:

Brasil de Pelotas 0x0 Operário Ferroviário – Bento Freitas – Pelotas, Rio Grande do Sul

Escalações:

Operário Ferroviário: Thiago Braga; Sávio, Bonfim, Ricardo Silva, Fabiano; Mazinho, Leandro Vilela (Jiménez), Jean Carlo (Schumacher); Rafael Chorão (Batatinha), Ricardo Bueno (Pedro Ken) e Diego Cardoso (Reniê).

Brasil de Pelotas – RS: Rafael Martins; Rodrigo Ferreira, Leandro Camilo, Héverton, Alex Ruan; Sousa, Bruno Matias (Pablo), Matheus Oliveira (Simião); Jarro Pedroso (Bruno Santos), Dellatorre (Wesley Pacheco) e Bruno José.

Cartões:
Operário: Ricardo Silva (Amarelo), Jiménez (Amarelo) e Jean Carlo (Amarelo)
CSA: Sousa (Amarelo)

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade