HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

La mano de dios. O surgimento do mito.

Card image

Créditos: Foto:Reprodução

O verdadeiro 10. Gênio das imperfeições. Deus para o povo Argentino e Napolitano. Errante, polêmico, Gente como a gente. Esse era Diego Armando Maradona.

Falar sobre Dom Diego é falar do povo. Certamente não existe um personagem no futebol com tamanha idolatria e proximidade para com os seus como El Pibe. Capaz de unir toda uma nação, de devolver a esperança, alegria, e até mesmo tirar um sentimento de vingança entalado dos argentinos.

O 10 encantava desde sempre. Porém foi alçado ao panteão dos deuses durante a Copa de 1986. Argentina x Inglaterra, quartas de final, 4 anos após a dolorosa derrota na Guerra das Malvinas o destino novamente colocou lado a lado essa rivalidade. Foi um jogo bem disputado, tenso, mas com “la mano de dios” e a genialidade de Dieguito os argentinos expurgaram toda a dor acumulada. Argentina classificada, vingança realizada. A história estava escrita. Belgas nas semis e alemães na grande final serviram apenas de súditos para coroar o novo rei.

Disputou ainda os mundiais de 1990 e 1994, tendo conduzido os argentinos a mais final em 1990, dessa vez sendo derrotados em jogo repleto de polêmicas contra a mesma Alemanha. Em 94 chegou repleto de desconfiança após punição por doping (ficou ausente do futebol por 15 meses), e ainda assim fez um inicio de copa arrasador, marcando gol na estreia contra a Grécia e comandando o time na virada frente a Nigéria. Porém esse foi o seu último ato nos mundiais. Flagrado no antidoping (O exame deu positivo para efedrina). Apesar de jurar inocência e acusar o então presidente da AFA de boicote, o camisa 10 foi cortado e a até então favorita Argentina sentiu o baque e sucumbiu; perdendo para a Bulgária no encerramento da fase de grupos e depois para a Romênia nas oitavas.

Esses momentos contraditórios ajudaram ainda mais na mitificação do personagem, sem dúvidas entre os maiores de todos os tempos. Com toda essa história, torna-se ainda mais difícil acreditar que figuras desse quilate tenham de partir. Nos resta agora o papel de compartilhar esse enredo com as gerações futuras.

Nesse dia 25/11/2020 um pedaço do futebol se foi. O deus foi descansar. O jogo nunca mais será o mesmo.

Ver mais

Sobre o autor

Ver mais

Comentários

  1. Difícil ídolo da maioria bom eexemplo em campo e mal fora mais respeitado por todos pois nunca fez mal a Ninguém conhecido como Diego Armando ooooo .Maradona fica em paz

    1. Renan Oliveira disse:

      Verdade Marlon! Personagem único do Futebol mundial.

  2. Valnizia Maria Lacerda Teixeira disse:

    Gostei muito, Eu também sou RUBRO NEGRO de coração e alma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade