HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

CSA 1×0 Operário: não é só sorte que falta ao Fantasma

Card image

Créditos: Ascom CSA

Perder peças importantes no início de uma sequência longa, bola na trave, bola que para no goleiro, toque para trás que vira assistência para o adversário, expulsões e mais expulsões. A sorte realmente não anda muito do lado do Operário nos últimos dias, mas essa falta de sorte é a única explicação para os maus resultados do Fantasma?

Quando o alvinegro entrou em campo para enfrentar o CSA no Rei Pelé a expectativa da torcida era alta. Uma vitória contra um adversário com pouca diferença de pontuação do Fantasma, que nos permitiria voltar a primeira metade da tabela, talvez fosse um combustível a mais para a gente ter um pouco de tranquilidade na luta para garantir a presença na Série B 2021 o quanto antes.

Novamente com desfalques importantes, como a ausência de Douglas Coutinho e Jean Carlo, devido ao covid-19, e do meia Marcelo, suspenso pelo terceiro amarelo, o Operário foi para o jogo com: Thiago Braga; Alex Silva, Rafael Bonfim, Ricardo Silva, Fabiano; Leandro Vilela, Jiménez, Tomas Bastos; Thomaz, Ricardo Bueno e Diego Cardoso.

Em campo, o primeiro tempo começou com susto para o torcedor operariano. Aos três minutos, o goleiro Thiago Braga deixou escapar a bola após a defesa, mas se redimiu ainda no mesmo lance, defendendo o rebote de Andrigo. Logo na sequência, Fabiano errou um recuo e entregou a bola no pé do atacante Paulo Sérgio, que finalizou para fora. Nessa hora passou um filme do jogo de sábado contra o América-MG na cabeça do torcedor alvinegro.

Ainda no primeiro tempo Ricardo Bueno trabalhou a bola com Tomas Bastos e finalizou para a defesa do goleiro Matheus Mendes, sendo a melhor chance do Fantasma na etapa. Aos 44 minutos parece que a sorte voltou para o lado operariano. O atacante Pimpão foi expulso após uma entrada perigosa no zagueiro Ricardo Silva, o lance que resultou no vermelho direto gerou muita reclamação do lado dos mandantes, que julgavam a entrada apenas para amarelo.

Para explorar a vantagem numérica, o treinador Matheus Costa voltou para o segundo tempo com Sávio, no lugar de Alex Silva, e Rafael Chorão, para a vaga de Jiménez. As alterações fizeram com que o Fantasma ditasse as ações de ataque da partida, que culminaram numa bola na trave de Tomas Bastos, após belíssima batida de fora da área.

O problema é que, indo mais ao ataque, a equipe de Matheus Costa também ficou mais exposta aos contra-ataques do azulão. E foi num lance desses que Paulo Sérgio foi derrubado dentro da área por Leandro Vilela, que também recebeu o vermelho direto. Ai a Lei do Ex falou mais alto. Paulo Sérgio, que passou por Vila Oficinas em 2013, cobrou o pênalti e abriu o placar aos 23 do segundo tempo.

Para buscar o empate, o treinador do Fantasma apostou em Schumacher, Maranhão e Batatinha, mas as mudanças não foram o suficiente para igualar o placar em Alagoas. Nos acréscimos, Batatinha tentou uma finalização de fora da área, para fora, e, no último lance da partida, Schumacher tentou um belo voleio que infelizmente não entrou para a coleção do nosso artilheiro dos gols bonitos.

A sorte não está do nosso lado. Mas só a sorte também não resolve alguns problemas do Fantasma. Falta vontade, faltam peças para suprir as ausências no mesmo nível, falta mais capricho nas finalizações (das 14, apenas 4 foram no gol), falta aproveitar melhor a posse de bola, falta mais cabeça quando se está atrás no placar. Falta suprir com qualidade quando a sorte não está do nosso lado.

Sexta-feira é em casa, contra o Paraná. Precisamos vencer!

Ficha Técnica:

CSA 1×0 Operário Ferroviário – Estádio Rei Pelé – Maceió, Alagoas

Escalação:
Operário Ferroviário: Thiago Braga; Alex Silva (Sávio), Bonfim, Ricardo Silva e Fabiano (Lucas Batatinha); Leandro Vilela, Jiménez (Rafael Chorão) e Tomas Bastos; Diego Cardoso (Maranhão), Ricardo Bueno e Thomaz (Schumacher)
CSA – AL: Matheus Mendes; Norberto, Cleberson, Luciano Castán, Diego Renan; Geovane, Yago (Cedric), Nadson (Pedro Júnio), Andrigo (Marquinhos); Rodrigo Pimpão, Paulo Sérgio (Lucas Dias)

Gols:
CSA – AL:
Paulo Sérgio – 23’ 2º Tempo

Cartões:
Operário:
Leandro Vilela (Vermelho); Fabiano (amarelo), Rafael Chorão (Amarelo), Diego Cardoso (Amarelo)
CSA: Rodrigo Pimpão (Vermelho)

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade