HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Na raça, no talento, com 9

Card image

Créditos: Foto: Igor Barrankievcz/FotoPressPR

As Meninas de Aço começaram o jogo bem, dominando completamente a partida. Apesar da chuva intensa, especialmente pra campo sintético, foi o nervosismo de início que deu um tom mais acelerado ao jogo. Aos 7 minutos, Eddie cobra escanteio e Vi cabeceia bonito para o gol.

Entendendo os espaços, controlando o nervosismo, as Meninas começaram a tentar trabalhar melhor a bola, sem afobação e partiram para o ataque. O Athlético até então tinha algumas poucas oportunidades, mas o Bahia mantinha o controle, apesar de alguns erros de passes (probleminha que precisamos resolver). E foi com esse controle e atacando bem que aos 33 minutos do primeiro tempo, Ellen fez um golaço da entrada da área, após saída de bola errada das atleticanas, ampliando o placar.

Segundo tempo começou prometendo ainda grande festa tricolor, com Gadu, nossa artilheira, marcando o dela, após um passe maravilhoso de Eddie. Era o terceiro. Promessa de festa tricolor e triunfo tranquilo. Mas onde tem Bahia não tem paz!!!

Aos 20 minutos, Vi tomou o segundo cartão amarelo e foi expulsa. Vacilo de nossa triunfinho num lance bobo. O jogo então mudou completamente. Giovania já tinha saído para entrada de Brenda, ainda no intervalo. Com a expulsão de Vi, Igor Morena tirou Dan e colocou Nainara para tentar reforçar nossa zaga, fechar um pouco mais. Só que ficamos muito vulneráveis no meio e foi pressão total. O time se desorganizou completamente. As meninas sentiram muito com a expulsão de Vi, o Athletico cresceu e fez o gol.

Fazendo as duas últimas substituições, Igor Morena tirou Luana, Ellen e Eddie e colocou Dymenor, Miúda e Esquerdinha. Isso pressionou ainda mais nosso meio e nessa altura já estavam todas no campo de defesa e não havia reação. Para piorar, aos 40 minutos Gadu sentiu e precisou ser substituída, mas Bahia não tinha mais substituições. Ficamos com menos duas jogadoras. A arbitragem resolveu dar OITO minutos de acréscimo, sem nenhuma explicação, mas que serviu para mostrar a goleira segura que é Nágila. Fez defesas maravilhosas!

Como o Athletico não parava de pressionar, juiz marcando tudo contra as Meninas de Aço, em outro lance bobo foi marcado pênalti já aos 55 minutos, dois a mais dos oito de acréscimo. Aja sofrimento! Tensão total. Um jogo que estava tão tranquilo virando um pesadelo. E ai, bola na trave! Desabafo tricolor! Não deu ne, juizão? Tomamos pressão antes do final do jogo, mas a partida acabou 3 x 1 para a gente, com gols de Vi, Ellen e Gadu.

Dia 28 as Meninas de Aço jogam em Pituaçu com uma boa vantagem, mas precisando consertar os erros dessa partida. Igor Morena também precisará pensar direitinho como escalará o time, já que não poderemos contar com Vi. Infelizmente não foi dessa vez que ocorreu a estreia de Verena. A boa notícia fica por conta de Gadu que já tranquilizou a torcida em sua rede, informando que está bem, que não foi nada grave.

Sofremos um pouco, mas fizemos um grande jogo. Pra mim, Nágila foi a barril dobrado do jogo com menção mais que honrosa para espetacular Eddie, com duas assistências. Mostramos que temos um bom time, mas não podemos dar nada como garantido. Por hoje? Comemorar! Temos mais sete dias para nos prepararmos para o próximo desafio. E que dê Bahia, de novo! BBMP

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade