HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Consciência negra já! Na bola também…

Card image

Créditos:

Por mais que tentem dissociar a questão política e social do futebol, impossível desfazer o elo que os une.

Tratar o Dia da Consciência Negra sem o futebol é a certeza de cair numa vala de desconhecimento e ausência completa de conteúdo digna de quem pouco entende da sociedade que vive.

Sim, o futebol “é o ópio do povo”.

Claro também que nos dias de hoje, avolumado de problemas que vão das dificuldades financeiras cada vez maiores às consequências diversas por força da pandemia, o futebol tem muito de morfina a aliviar as dores cada vez mais crônicas de um povo pra lá de esfolado e explorado.

Eis o futebol.

Alguém consegue imaginar o futebol brasileiro sem a presença dos jogadores negros?

Alguém sem sã consciência entenderia que a história da bola nesse País seria a mesma caso por algum lapso do tempo e espaço, mesmo que de forma fictícia, não tivéssemos os negros a praticá-lo?

Sim, sabemos da história do Vasco da Gama praticamente vanguarda na utilização de jogadores negros em seus elencos como sabemos da tal história de outros utilizando o “pó de arroz” a cobrir rostos e braços falsamente embranquecidos.

Sabemos muito do histórico racista desse País, porém, possivelmente não o suficiente para que deixemos de praticar todo tipo de intolerância, inclusive essa por sinal assombrosa demais.

Desde o primeiro craque que o futebol brasileiro produziu (Friendereich) até os dias de hoje, a abundância e supremacia negra na habilidade da bola marcam presença.

E olha que passamos por Leônidas da Silva, Domingos da Guia, Zizinho, Garrincha, Canhoteiro, Pelé, Ronaldo, Rivaldo, Romário, Ronaldinho e tanta gente maravilhosa que desfilou por gramados no mundo todo.

Porém alguns aspectos elevam o sentido do racismo por vezes explicito e noutras escondido, quando nos perguntamos:

Por que não temos dirigentes de futebol negros?

Por que o número de técnicos de futebol negros é infinitamente menor que os outros?

Por que o número de árbitros negros é quase insignificante?

E os jornalistas negros no futebol?

Pois bem, seriam os negros apenas mão de obra no futebol quando restritos às quatro linhas do gramado, fruto em grande parte da sua habilidade?

E nos cargos diretivos?

E nas situações de comando?

Eis o que chamo do racismo implícito (ou seria explícito mesmo?) e escondido…

Eis a prova da ferida ainda aberta e sangrando que é a questão do racismo nesse País.

Eis que o futebol reflete em larga escala o comportamento da sociedade.

São vários “eis” que temos ainda a lamentar e que de alguma forma mancham em muito os tais exaltados dias de evolução ditos por muitos dos nossos.

O não discutir assuntos como esse nos colocam dia a dia num dilema muito parecido com o que viveu Barbosa, o grande goleiro brasileiro dos anos 50: não fosse negro, teria sido responsabilizado e massacrado durante décadas pelo Maracanazo?

Por mais dias, dias e dias de consciência negra!

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade