HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Precisamos das vacinas! Em busca de dias melhores

Card image

Créditos: Coritiba Oficial

A cidade de Curitiba vive um momento crítico em novo avanço do Coronavírus. 82% das UTIs existentes para tratamento da COVID-19 na capital do Paraná estão ocupadas. Esse impacto também atingiu o Coritiba Football Club, que na derrota contra o Bahia, não teve a presença de nove jogadores e de seu técnico, que foram testados positivo para a doença. A má gestão futebolística em relação ao Corona, o retorno antecipado do esporte e a exposição dos atletas e de seus familiares ao vírus são temas extremamente relevantes, mas que não serão objeto de análise neste momento. O que ninguém nega é que, após um ano catastrófico para a humanidade, o mundo inteiro está aguardando a tão esperada vacina do Coronavírus, com esperança de dias melhores. Enquanto ela não surge, se cuidem.

Em relação ao Coritiba, mais uma vacina é aguardada. Na noite de 16/11/2020, o Coritiba sofreu outra derrota no Campeonato Brasileiro, dessa vez foi para o Bahia, de virada, em casa. Com mais uma apresentação apática, o alviverde do Alto da Glória parece não encontrar saídas para a crise que está vivendo. Em outro momento, a apaixonada torcida do Coxa poderia ajudar o elenco no Couto Pereira, e certamente influenciaria em alguns resultados. Porém, sem torcida, as fragilidades do time aparecem mais e o Coritiba já acumula cinco derrotas em casa no Brasileirão.

O jogo contra o Bahia é apenas mais uma das diversas decepções futebolísticas vivenciadas ao longo de uma das piores gestões realizadas na história do clube. Sinceramente, o ano de 2020 está praticamente comprometido, está difícil ver alguma saída para o buraco que o Coxa se meteu. Porém, o que nos move é o amor ao clube e, principalmente, a esperança de dias melhores.

Há muitos anos o Coritiba é uma bagunça no futebol: endividamento; contratação de jogadores por indicação de empresários interesseiros; falta de critério em contratações; ações trabalhistas; má utilização da base; etc. A lista é grande…

Assim, além da necessária vacina da COVID-19, a torcida coxa-branca está aguardando uma outra vacina contra um mal que assola o clube há tempos: o AMADORISMO.

E é aí que entra a nossa questão principal. No dia 12 de dezembro acontecerá o processo eleitoral para a escolha da nova chapa que comandará o alviverde. Três chapas vão estar concorrendo, a chapa “União Coxa”, encabeçada por João Carlos Vialle, a “Coritiba Ideal” de Renato Follador, e a “Coritiba responsável”, composta pelo atual presidente Samir Namur. Ainda estou tentando entender como essa chapa da situação não tem vergonha de tentar a reeleição depois de tantos fracassos em campo.

Nesse sentido, as eleições aparecem como uma nova oportunidade de mudar. A grande questão é se haverá grandes mudanças ou se todos os belos projetos de planejamento se tornarão palavras ao vento, como costuma acontecer no Coxa.

Uma pesquisa interessante que vi no perfil @coritibapics do instagram, realizada por Daniel Vinicius Ferreira, é sobre o histórico dos 160 conselheiros indicados por cada chapa em processos eleitorais do Coritiba desde 2014. Na chapa “União Coxa”, 72,4% já estiveram concorrendo em outras eleições. Na “Coritiba Ideal”, a porcentagem é a mesma, 72,4%. Já na “Coritiba Responsável”, o número é mais baixo, 48,65% dos conselheiros indicados já participaram de outros processos eleitorais, o que é curioso, considerando que é a chapa da situação.

De qualquer forma, provavelmente muito do conselho eleito será de pessoas que já participaram da política do clube. Considerando isso, será que as eleições podem significar uma mudança radical na forma que o clube é gerido?

Precisamos de uma “vacina” urgente contra o amadorismo que se instalou há muito tempo.

Creio que para isso não é suficiente uma mudança no conselho administrativo, é também de grande importância uma transformação na cultura do clube, principalmente na atuação do conselho deliberativo. Será que a parcela da torcida eleita poderá deixar de lado a politicagem e os interesses particulares dentro do Coxa para pensar exclusivamente no bem do clube? E principalmente, será que finalmente poderemos ver uma diretoria que tenha capacidade de enfrentar o desafio que é comandar um clube maltratado por gestões amadoras passadas?

Dia 12 está aí. Pode ser a última esperança da torcida Coxa, a vacina que precisamos para nos imunizarmos do amadorismo, em busca de dias melhores. Portanto sócio/a Coxa, vote consciente!

Ver mais

Sobre o autor

Ver mais

Comentários

  1. Guilherme disse:

    “ Já na “Coritiba Responsável”, o número é mais baixo, 48,65% dos conselheiros indicados já participaram de outros processos eleitorais”

    É evidente, Samir teve que buscar pessoas que nunca nem se interessaram com o clube pra conseguir compor o número mínimo de conselheiros pra eleição. Esse é um que não cansa de passar vergonha.

    1. João Victor Collita disse:

      Concordo, Guilherme. Dá para ver que muita gente que estava junto com Samir não acredita mais em seu projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade