HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

O ACESSO DO CONFIANÇA PARA A SÉRIE B

Card image

Créditos: Divulgação/ADC

Após algumas tentativas frustradas, o Confiança finalmente subiu para a Série B em 2019. Os duelos que fizeram o time proletário conseguir a ascensão, foram contra o Ypiranga-RS e o jogo decisivo foi na cidade de Erechim. Mas, vamos começar essa história pelo começo.

O sonho de jogar a Série B começou no ano de 2008, quando o Dragão fez grande campanha na Série C daquela temporada e mobilizou a cidade com a campanha “Vamos Subir Dragão”. O Batistão lotava em todas as partidas e a empolgação da torcida era grande. Mas o time vacilou nos jogos fora de casa e deixou a oportunidade escapar por um ponto. No ano seguinte, 2009, o Confiança acabou sendo rebaixado para a Série D e esse desejo acabou ficando de lado.

Em 2014, o time proletário conseguiu o acesso na quarta divisão e voltou para a terceirona em 2015, reativando na torcida aquele desejo que ficou pelo caminho sete anos atrás. O Dragão avançou para o mata-mata e foi eliminado pelo Londrina. Dois anos depois o filme se repetiu, e o algoz da vez foi o São Bento.

Até que chegou a hora desse sonho ser concretizado. O início foi complicado, a equipe fracassou no estadual e as expectativas eram de uma dura briga contra o rebaixamento. Com duas derrotas nas duas primeiras rodadas da Série C, esse prognóstico parecia cada vez mais real. Porém, após a classificação na pré-copa do nordeste contra o Sampaio Corrêa, tudo mudou. O time embalou uma boa sequência de resultados sob o comando do técnico Daniel Paulista e se classificou para o mata-mata.

Todos sabiam que não seria fácil, afinal o adversário era o líder do grupo B, o Ypiranga. Na semana que antecedeu a primeira partida, a imprensa gaúcha menosprezou o Dragão e chegou a falar que seria fácil para o time de Erechim. Isso motivou ainda mais os jogadores e a torcida azulina, que lotou o Batistão e no gol de Tito soltou o grito de gol mais alto que o estádio já ouviu.

Com o resultado de 1×0 a favor do Confiança, o sonho estava cada vez mais perto de ser realizado. No dia 7 de setembro, quando a partida de volta foi realizada no Rio Grande do Sul, cerca de 300 proletários cruzaram o país e viajaram mais de três mil quilômetros. Era o dia da independência desse clube, o dia de exorcizar todos os fantasmas.

O jogo começou difícil, com o time da casa abrindo o placar logo no começo. Passou um filme na cabeça de todo torcedor. O segundo tempo foi arrastado e os pênaltis se aproximavam. Mas todo mundo sabia, era a cara do Confiança fazer um gol naquele final de partida. E foi assim que aconteceu. Após Flávio conduzir a bola pela direita, um jogador do Ypiranga bloqueou o cruzamento e ela foi para escanteio. Felipe Lima ajeitou a bola com carinho, cruzou a meia altura na cabeça de Renan Gorne, que se abaixou e desviou no primeiro pau. A bola ia lentamente para as redes, quando Vinícius Simon apareceu para completar e marcar o gol. Era o gol do acesso.

O grito de gol não foi tão forte. As pessoas não tiveram força para gritar, pois estavam todos chorando. Com o final da partida, veio a certeza de que o sonho estava concretizado. O Confiança estava de volta a Série B depois de 28 anos. Aracaju viveu uma festa inesquecível naquele sábado e no domingo, com a chegada do time. E esse final de semana vai ficar marcado para sempre na memória da torcida proletária.

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade