HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

Quando o Galo alçou vôo rumo a Série C em 2018

Card image

Créditos:

O Treze Futebol Clube detém uma camisa pesada dentro do estado da Paraíba. Porém em 2018 o Galo da Borborema (como é conhecido) vinha passando por anos de campanhas frustradas tanto em campeonatos estaduais, como também em competições regionais ou nacionais (quando conseguia chegar a disputá-las). Dessa maneira o Treze começou a série D daquele ano com um time desacreditado. Mas para a surpresa até da sua própria torcida, o Galo consegue realizar uma boa campanha contando com uma crescente de bons desempenhos até se classificar para as quartas de final.

O filme já era conhecido: O time chegava perto do acesso à série C. Porém neste ano todos esperavam que o Treze fizesse o contrario dos anos anteriores, passando das quartas e quem sabe até se consagrando campeão.

O primeiro duelo classificatório ao acesso não seria em Campina Grande, mas na capital paraibana. Cumprindo uma punição da CBF, o Treze sairia de sua cidade para jogar em um campo neutro: o estádio o Almeidão, em João Pessoa. A disputa seria entre as duas equipes com o melhor ataque do campeonato. O Galo na época somava 19 gols, enfrentando o Caxias do Rio Grande do Sul que detinha 20 gols e também a defesa menos vazada, com apenas cinco gols sofridos.

Assim a torcida galista tinha uma grande expectativa. Mesmo impossibilitada de lotar o estádio Presidente Vargas e fazer um grande caldeirão em casa, era esperado que muitos torcedores se deslocassem ao litoral. E a viagem tinha um significado especial, o que aumentava a vontade de vencer:a cidade de João Pessoa guarda uma grande rivalidade futebolística com os times do interior, já que é a casa do Botafogo-PB.

Ao chegar no Almeidão já dava para ter noção de como seria aquela disputa. Ali não era mais João Pessoa. Campina Grande havia tomado lugar nas arquibancadas com uma expressiva torcida alvinegra.

Com a bola rolando a massa galista estava empolgada, sempre buscando incentivar o seu clube rumo a vitoria. Um primeiro tempo disputado, com as duas equipes procurando oportunidades. Então aos vinte minutos chegou o que os paraibanos esperavam: Ceará avançou, passando pela marcação e cruzando para Silva que balançou as redes do Caxias. Estava feita a festa, gritos explodiam nas arquibancadas.

Apesar de um início de jogo que desenhava uma vitória, o Galo não procurou ampliar o placar. O time se fechou no segundo tempo e focou nos contra ataques, enquanto o Caxias jogava de maneira mais ofensiva.

Com o acesso cada vez mais próximo os trezeanos estavam eufóricos. O jogo termina com a vitória por 1 a 0 para o Galo da Borborema, o que garantiu uma grande comemoração em solo pessoense. As torcidas e os times do interior eram muitas vezes chamados pelos pessoenses jocosamente de “matutos” (uma expressão equivalente a “caipira”). Assumindo a alcunha, torcedores saíam do estádio em comemoração gritando que iriam defecar na praia, uma clara provocação a população daquela cidade.

Após aquela partida o Treze viajaria para Caxias do Sul disputar a decisão das quartas, onde em uma virada histórica a equipe venceu por 3 a 1. Com a classificação garantida, após o terceiro gol a equipe alvinegra sofreu ataques dos jogadores do Caxias, tendo o jogo encerrado devido a briga no final do segundo tempo.

O Galo ainda enfrentou o Imperatriz nas semifinais, perdendo fora de casa por 1 a 0 no primeiro jogo e na volta ganhando pelo mesmo placar, vencendo nos pênaltis por 2 a 1. Mas foi na final contra o Ferroviário que a equipe paraibana deixou o titulo escapar. No primeiro jogo os paraibanos viajaram para Fortaleza e sofreram uma derrota por 3 a 0. O segundo jogo contou com muita garra do Treze, mas acabou com o placar de apenas 1 a 0 para os paraibanos, o que garantiu o título a equipe cearense.

Apesar da segunda colocação no Campeonato Brasileiro série D o time agradou à torcida pela sua vontade de vencer, uma equipe empenhada. Aquela campanha contou com o comando do técnico Flávio Araujo, responsável pelo sucesso do time. Destaque também para o experiente meia Marcelinho Paraiba que inicialmente era mal visto, já que havia começado sua carreira no rival Campinense, mas se tornou uma liderança no Treze, conseguindo impulsionar o bom desempenho dos colegas e assim também conquistando a torcida. Na zaga Copetti e o goleiro Mauro Iguatu garantiram boas defesas. Na frente se destacavam Ceará e Samurai (que estava entre os jogadores que mais marcaram gols na competição). Um elenco que marcou a história recente do Galo da Borborema e deixou saudades.

Ver mais

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade