HOME CLUBES PRINCIPAL COPAS MUNDO DO FUTEBOL FUTEBOL FEMININO MERCADO DA BOLA CULTURAL CONTATO

 

 

SERIE A

SUDESTE

NORDESTE

SUL

CENTRO-OESTE

NORTE

CRB

Ídolo do CRB, Joãozinho diz que ano de 76 marcou sua história no Rei Pelé

Card image

Créditos: Instagram oficial CRB

Um homem em especial tem lugar cativo na história do Estádio Rei Pelé e do CRB, a camisa 9 nunca pesou em suas costas. Definidor, nasceu com o dom de desmontar defesas sem precisar dar muitos toques na bola, conhecia os atalhos da área. Joãozinho Paulista, ídolo e maior artilheiro da história do Galo, teve seus dias de glória no Trapichão, aniversariante ilustre deste 25 de outubro, guarda lembranças especiais do gramado mágico.

O início da trajetória vitoriosa com o CRB foi em um domingo do ano de 1976. O clássico entre CRB e CSA levou milhares de torcedores ao Rei Pelé, quem imaginaria que um garoto de 18 anos, recém-chegado a um dos maiores clubes do estado, poderia marcar três gols e dar a vitória ao seu time? Não era impossível, mas improvável. E foi exatamente dessa maneira que Joãozinho, o “João dos gols”, começou a trilhar sua carreira no maior palco do futebol alagoano.

“Não esqueço meu primeiro clássico contra o CSA com a camisa do CRB. Esse foi o clássico conhecido como o das multidões. O Rei Pelé naquela época, era super lotado, com mais de 20, 30 mil pessoas, porque tinha a geral, não havia cadeiras, ia realmente muita gente. Esse jogo ficou marcado para mim porque eu cheguei ao CRB com 18 anos de idade, vim do XV de Piracicaba e eu não ia entrar em campo. Mas o Antônio Carlos não estava tão bem fisicamente, ele era o atacante do time. Daí, o técnico Jorge Vasconcelos ficou em dúvida se me colocava ou não, pois eu era muito jovem e recém-chegado. Mas lembro que o Itamar, que era supervisor, o Espinosa, Roberval Davino, e os outros jogadores se reuniram e pediram para que o Jorge me desse uma chance,” contou Joãozinho Paulista.

Joãozinho então iniciou a partida contra o CSA como titular. Logo virou xodó da torcida. A partir dali, foram 190 gols com a camisa do CRB, que fazem dele o maior artilheiro da história do clube alvirrubro. Além disso, foi o artilheiro da edição do Campeonato Alagoano de 1976, com 20 gols, e sagrou-se campeão do estado.

“Então, tudo começou ali, no Rei Pelé. Naquele clássico das multidões de 1976. Vencemos o CSA por 3 a 2 e eu marquei os três gols. A partir dali fui titular no restante do campeonato e, em 12 jogos, marquei 20 gols. Foi o início da minha trajetória e dos meus 190 gols com a camisa do CRB”, disse Joãozinho.

Marcado como um dos ídolos do esporte alagoano, Joãozinho só tem elogios ao local que por tantas vezes serviu como palco de maior alegria para o jogador e seus admiradores. Foram muitos jogos marcantes. No Rei Pelé, o ídolo conquistou por três vezes o título de campeão alagoano (1976, 1978 e 1983) e foi três vezes artilheiro da competição (1976, 1982 e 1984).

Foi uma maravilha. Não tem como dizer que é um dos estádios mais importantes do futebol brasileiro e nordestino. Tem uma capacidade maravilhosa, com um gramado impecável. E tenho muito orgulho de ter iniciado minha carreira profissional pelo CRB nesse palco. Ser um atleta que vestiu a camisa do CRB, com a torcida regatiana nas arquibancadas, me apoiando em todos os momentos, isso é motivo de orgulho. Tenho isso dentro do meu coração e da minha vida.” Concluiu, João dos gols.

mm

Sobre o autor

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Siga nossas redes sociais

© 2020 Atras do Gol é uma marca registrada da Atras do Gol Limited Liability Company.  Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nossos Termos de Uso e Política de Privacidade